Rede de Diaconia

Associação Diacônica Luterana - ADL

A ADL foi fundada em 22 de fevereiro de 1956, em Serra Pelada, município de Afonso Claudio (ES) pelo pastor luterano Artur Schmidt e sua esposa Kater Schmidt. Ambos vieram da Alemanha para suprir a vacância pastoral da Paróquia de Serra Pelada, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB). Os luteranos atendidos na região eram alemães e pomeranos, havia um número pouco significativo de pessoas que compreendiam a língua portuguesa. A realidade da época apresentava diversas dificuldades em relação à educação, saúde pública, comunicação etc.

Diante da falta de escolas na região, além da alfabetização básica, Schmidt iniciou um internato, onde os jovens tinham aulas de música, teatro, conhecimentos bíblicos, matemática, língua portuguesa e alemã, bem como agricultura e trabalhos manuais.

Nos anos seguintes, a ADL foi transformada em uma casa de formação de diáconos e diáconas para a IECLB, formação que foi transferida em 1977 para a Escola Superior de Teologia (atual Faculdades EST), em São Leopoldo (RS).

A ADL reorganizou a sua atuação e acolhe adolescentes que buscam formação complementar à educação regular da escola pública, reforçando as áreas da ética, cidadania, desenvolvimento comunitário, artística e do protagonismo juvenil. Para isso, oferece referenciais da filosofia, saúde popular, agricultura, sociologia, expressão corporal, comunicação e artes.

Destacam-se as aulas/oficinas de música, regência, percepção musical, teoria musical, teatro, corpo em expressão, boas maneiras, dinâmica de grupo, práticas pedagógicas. Esses conhecimentos e vivências são distribuídos durante quatro anos, buscando inspirar, capacitar e empoderar esses jovens para a prática do voluntariado social.

Atualmente, a ADL a ADL acolhe 72 adolescentes, 31 do sexo masculino e 41 do sexo feminino. Os alunos têm entre 12 a 19 anos. Grande parte dos adolescentes vem do município de Afonso Cláudio e região, mas há alunos dos estados de Mato Grosso do Sul e Rondônia.

Entre esses que ingressam, 90% são do meio rural e filhos de pequenos agricultores.

Missão

Oferecer formação complementar embasada na prática da valorização humana, comunitária e artística.

Visão

Inspirar as pessoas para exercício do protagonismo.