Exposição Nem Tão Doce Lar recebe mais de 400 estudantes em Rondônia

Exposição Nem Tão Doce Lar recebe mais de 400 estudantes em Rondônia
30 de março de 2022

A cidade de Ariquemes (RO) recebeu, entre os dias 7 e 11 de março, uma série de atividades alusivas ao Dia Internacional de Luta das Mulheres, marcado pelo dia 8 de março (#8M). A Jornada Nem Tão Doce Lar contou com oficinas de formação para acolhedoras e acolhedores, exposições, rodas de diálogo sobre o protagonismo das mulheres nas igrejas e sobre masculinidades saudáveis, além de vídeo debates com foco na superação da violência doméstica e familiar.

Mais de 400 estudantes dos ensinos médio e fundamental de escolas da rede municipal e da rede estadual visitaram a exposição no campus da UNIFAEMA. Simultaneamente, a mostra também esteve aberta para visitação guiada pela equipe de acolhedoras no IG Shopping.

Segundo Iriane Schrammel, coordenadora da Escola para Vida (ABEVI) e presidenta da Paróquia Crescendo no Amor (IECLB), a visitação permitiu observar e acompanhar crianças que apresentaram sinais de violência em seu contexto familiar.

“As alunas e os alunos da ABEVI realizaram a visita à exposição acompanhados de três profissionais da instituição. Na ocasião, foi possível observar as reações diante dos objetos presentes na casa. Alguns [itens] chamaram a atenção e houve um diálogo sobre o impacto causado.”

Ítalo Adão Aguiar Oliveira, psicólogo escolar da Escola Ricardo Cantanhede, completou falando sobre os impactos que a semana gerou nas e nos estudantes. “A visita de alunas e alunos à casa levantou demandas latentes, trouxe questionamentos e proporcionou compreensões atualizadas sobre as diferentes formas de violência.”

A iniciativa marca o retorno presencial da metodologia diaconal de superação da violência doméstica e familiar em 2022. Há previsão de outras 11 exposições em seis estados e também no Distrito Federal. Todo esse movimento busca fomentar e assessorar, tanto comunidades luteranas como instituições diaconais, para o chamamento público das organizações que integram as redes locais de apoio. 

“A jornada gerou possibilidades de temas a serem trabalhados com públicos diversos, como homens e lideranças religiosas, em espaços antes não alcançados pela rede de enfrentamento local. A metodologia nos deu uma maior dimensão dos aspectos sutis da violência e toda a amplitude de danos à sociedade a serem combatidos e superados”, comentou a Rev. Elineide Ferreira Oliveira, assistente social, coordenadora da Casa Noeli dos Santos (IEAB), presidenta do conselho da mulher (COMDIM) e coordenadora da rede de enfrentamento à violência de Ariquemes (RO).

As atividades encerraram no sábado, dia 12 de março, com a Roda de diálogo ecumênica sobre o Protagonismo das Mulheres na Bíblia e na Reforma, na cidade de Porto Velho (RO). As formações foram realizadas pela pastora Renate Gierus, assessora em Justiça de Gênero da FLD-COMIN-CAPA, por Rogério Oliveira de Aguiar, assessor de projetos em Diaconia e Direitos Humanos da FLD-COMIN-CAPA, e por Cléber Rocha, psicólogo Clínico e social do CRAS de Cacaulândia (RO).

Vinte e três mulheres participaram da roda conduzida por Renate. Para Iriane, foi um encontro de muita partilha e aprendizado. “A pastora Renate Gierus ministrou nossa primeira Roda de Conversa com o tema Maravilhosas Mulheres e Mães. Através dela, foi possível conscientizá-las de que elas têm valor e capacidade de crescer, cada qual na sua realidade, potencializando seus sonhos, frisando que todas têm seu valor e merecem respeito.”

A roda de conversa sobre masculinidades também promoveu espaços seguros de diálogos. “Foi muito importante como forma de troca de experiências através da vivência e da compreensão das diferentes formas e constituições de masculinidades na nossa região. Teve uma abertura saudável, que permitiu aos homens presentes falar sobre suas questões pessoais, promovendo novas construções acerca do que realmente é ser homem nos tempos atuais”, comentou Ítalo.

Sônia Carvalho, enfermeira, integrante da Rede Municipal de Enfrentamento à Violência e professora da UNIFAEMA, comentou sobre a oportunidade de atuar na prevenção da violência doméstica e familiar de maneira ativa e consciente. “Nenhuma vítima é capaz de esquecer [a violência sofrida], mas um atendimento acolhedor, receptivo e, acima de tudo, humano pode ajudar a superar. Me impactou constatar o poder libertador que o conhecimento promove na pessoa em situação de violência. Mostra que estamos no caminho certo em sermos ombro e porta de acolhimento.”

A Jornada Nem Tão Doce Lar na região do Vale do Jamari é fruto de uma parceria entre a Fundação Luterana de Diaconia (FLD), a Rede de Enfrentamento à Violência de Ariquemes, Ministério Público Estadual, UNIFAEMA, Casa Noeli dos Santos (IEAB), Comunidade Luterana de Ariquemes (IECLB), Associação Beneficente Escola para a Vida (ABEVI) e Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Porto Velho (RO). 

As atividades previstas para esse ano contam com o apoio da Igreja Evangélica de Confissão Luterana (IECLB) através do Fundo de trabalho com vítimas de violência doméstica, constituído a partir do plano de ofertas nacional.