Rede de Diaconia

Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA)

A criação do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA), em 1978, foi um gesto da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) na busca por justiça social, quando famílias de agricultores estavam sendo expulsos do campo por um novo modelo econômico – conhecido como “revolução verde” – concentrador de renda e de terras. O CAPA contribuiu de forma decisiva para a prática social e de serviço junto a agricultores familiares e outros públicos ligados à área rural.

Ao longo da sua existência, o CAPA moldou seu trabalho a partir do respeito à diversidade – biológica, cultural, étnica e religiosa –, como item fundamental para a manutenção da vida e para a construção de independência e de autonomia. Ainda, sua atuação foi ampliada para outros públicos, além das famílias agricultoras, incluindo quilombolas, indígenas e pescadores artesanais.

A organização é integrada por cinco núcleos - Erexim, Pelotas, Santa Cruz do Sul (RS); Marechal Cândido Rondon e Verê (PR) - que vêm acumulando experiência e resultados, não apenas enquanto consórcio, mas também através das redes em que participa, como é o caso da Rede Ecovida de Agroecologia.

Missão

O CAPA é um serviço da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) que, como Igreja de Cristo, tem o compromisso de não se conformar com as injustiças sociais e a agressão à Natureza. O CAPA foi colocado à disposição dos agricultores familiares para, em conjunto com eles e com base nos princípios da agroecologia e da cooperação, desenvolver experiências de produção, beneficiamento, industrialização e comercialização, de formação e capacitação, de saúde comunitária, que sirvam de sinais de que o meio rural pode ser um espaço de vida saudável e de realização econômica para todos.