Rede de Diaconia

Notícias e Novidades

Projeto Leitura de Mundo promove aprendizado da convivência e do respeito às diferenças

8-08-17

Momento contação de mitos Huni Kuin na comunidade Huwa Karu

Durante todo o primeiro semestre de 2017, a Escola Estadual Raimundo Gomes de Oliveira, em Rio Branco (AC), esteve, em parceria com o Conselho de Missão entre Povos Indígenas (COMIN), executando o projeto “Lei 11.645/08”. Nele foram realizadas rodas de conversa, apresentação de vídeos, palestras e exposições fotográficas de alguns povos indígenas e o lançamento do caderno Semana dos Povos Indígenas 2017- Sobre Crianças Indígenas. Este material é organizado pelo COMIN. O projeto culminou no dia 13 de julho, com o encerramento das atividades do semestre.

O IX Projeto Leitura de Mundo teve como título Os verdadeiros donos dessa terra e foi realizado com alunos e alunas do ensino fundamental, médio e Educação de Jovens e Adultos. Em parceria com o COMIN, a escola também realizou uma visita/vivência até a comunidade Huwã Karu, do povo Huni Kuin, em Plácido de Castro (AC), com duas turmas de alunos e alunas do 9º ano. Houve um dia inteiro de atividades na comunidade, com a participação de alunos e alunas durante os momentos de canto e dança Huni Kuin, visita ao igarapé e roçados e momento para contação de mitos Huni Kuin.

Alunas e alunos ficaram encantadas e encantados com a experiência na comunidade Huwã Karu e estão programando outra visita à comunidade no segundo semestre.

“Durante todo o primeiro semestre de 2017, trabalhamos sobre as línguas e culturas dos povos Huni Kuin e Apurinã e, vindo até a comunidade Huwã Karu, pudemos vivenciar na prática tudo aquilo que tanto eu como minhas alunas e meus alunos aprendemos um pouco na teoria. A recepção da comunidade foi muito bonita, eu estou muito feliz por essa experiência”, relata a professora de língua portuguesa, Gabriela Martins de Souza. 

Segundo a coordenadora Aderlene Moura Rodrigues, a iniciativa Leitura de Mundo não é somente um projeto de leitura. Trata-se de ampliar a visão de mundo, que não é só uma decodificação de palavras, mas também de muitos assuntos que não estão nos conteúdos curriculares. O interessante foi o quanto alunas e alunos, e professoras e professores aprenderam sobre os povos indígenas.

A parceria do COMIN, através das palestras, exposições fotográficas, apresentações de vídeos, materiais didáticos e, principalmente, a ponte feita para que a escola fosse até a comunidade Huni Kuin, foi muito importante para o projeto. A maior lição para todas as pessoas envolvidas, principalmente para alunos e alunas, foi que, assim como o preconceito, o respeito também é adquirido.

A identidade do indivíduo é o elemento prioritário para justificar seu pertencimento ao grupo social. Desta forma, é tarefa das instituições de ensino permitir e valorizar essa construção social. A escola deve estar atenta a seu papel social, permitindo que estudantes vivenciem o aprendizado da convivência e do respeito às diferenças. Acima de tudo, permitir compreender a história e a cultura, formadas a partir de uma construção vivida e necessárias para sua formação cidadã.

O COMIN, em parceria com a Escola Estadual Raimundo Gomes de Oliveira tem trabalhado na busca do conhecimento, informação, ação e principalmente na quebra de tabus e preconceitos no que se refere aos povos indígenas. 

O Leitura de Mundo foi encerrado, mas as atividades sobre a Lei 11.645/08 nas escolas continuam durante o segundo semestre.

Fonte: www.comin.org.br